2011/01/04

Manuel Alegre (Traiu seus irmãos)


Guerra Colonial

Em 1961 é chamado a cumprir serviço militar e assenta praça na Escola Prática de Infantaria, em Mafra, de onde sai, pouco depois, para a Ilha de São Miguel. Aí desencadeia o movimento de Juntas de Acção Patriótica de Estudantes, constituídas por militares e civis. Além disso chega a traçar, com Melo Antunes e outros, um plano para tomar conta da ilha, que não se concretiza. Em 1962 é mobilizado para Angola, onde é preso pela PIDE e condenado a seis meses de reclusão na Fortaleza de S. Paulo, em Luanda, acusado de tentativa de revolta militar contra à Guerra do Ultramar. Regressa a Portugal em 1964. A ameaça de nova detenção e de julgamento pelo Tribunal Militar, por suspeita de traição, leva-o a passar à clandestinidade e a partir para o exílio.
Em 1964 parte para o exílio, em Argel, onde é locutor da emissora de rádio A Voz da Liberdade. Nessa emissora difunde conteúdos destinados a lutar contra o Salazarismo, declarando apoio aos movimentos de guerrilha do Ultramar, que lutavam contra as Forças Armadas de Portugal, convertendo num símbolo de resistência e liberdade.
Ouvi-o muita vez lá em Angola, através desta rádio Argelina, a excitar os guerrilheiros dos movimentos que lutavam pela independência, dizer-lhes: Camaradas… matem todos os brancos, não os poupem, Angola é dos angolanos, matem-nos! E muita das vezes, informava esses guerrilheiros, onde se encontravam as patrulhas dos soldados português a fim de os atacarem.

Em fins de 1968

Dois alferes pilotos do mesmo curso, o Lamy e o Lopes, do AB.3 Negage, descolam para um voo de rotina num Do27. O cacimbo estava cerrado e ao regressar à base enfiam-se a voar por um morro, tendo ambos falecido no impacto. Seria este simplesmente mais um triste caso de indisciplina de voo a ceifar a vida de dois jovens, não fosse um revoltante desenvolvimento: à noite ouvimos a inconfundível voz do traidor Manuel Alegre, através da "Rádio Portugal Livre", emitida da Argélia, regozijar-se por mais esta "vitória dos combatentes da liberdade de Angola" (isto apesar do inimigo não ter tido qualquer actuação neste acidente).
A pergunta é simples: Será que algum Alemão que tivesse colaborado com os Ingleses ou um Francês que tivesse colaborado com os Alemães ou um Japonês que tivesse colaborado com os Americanos teria algum futuro político no seu país no pós-guerra?
Quando é que vamos parar de aceitar que traidores, refractários e desertores
dominem a política em Portugal?
Um homem que deu em incentivar os negros a matarem os seus irmãos agora pede-lhes o voto!
O Manuel Alegre é traidor á nação e aos seus irmãos que os queria ver mortos. Ele não tem ética, nem postura. O relato acima descrito do acidente é verídico e assisti à transmissão da noticia, ouvimos as palavras proferidas pelo traidor Alegre, mais conhecido na altura por Pateta Alegre. Um amigo meu estava nessa noite em serviço na Rádio Club do Moxico e também ele ouvio, como tantos, as palavras proferidas pelo traidor Alegre. Segundo esse meu amigo, na Rádio havia várias dessas afirmações gravadas em fita. Aliás nos arquivos da PIDE/DGS em Portugal também havia, mas os "revolucionários de Abril" fizeram o favor de as destruir e só é pena que as provas reais tenham sido destruídas porque há mais.
Quando é que vamos mostrar, aos jovens, a realidade cometida por alguns falços portugueses que são figuras publicas e que aparecem na politica a quererem serem os dirigentes do nosso país!? Há que demascar, a realidade tem de vir ao de cima!

19 comentários:

  1. Parabens pelo blogue e pelas postagens
    Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
    Um abraço e fique com DEUS.

    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Aqui encontro cultura...
    Obrigado por compartilhar.
    Bjos achocolatados

    ResponderEliminar
  3. Realmente eu não conheço a historia.
    Mas posso assegurar que o problema não é só em Portugal.
    Aqui também temos bandidos disputando e ganhando eleições.

    ResponderEliminar
  4. Eu não conheço bem a história das lutas nem da política em Angola, mas no Brasil, e acho que em toda a parte também existem políticos que são verdadeiros inimigos do povo e da nação!
    Infelizmente, conseguem se eleger graças à desinformação da população.
    Estou te seguindo aqui também.
    Saudações!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pela visita sempre tão bem vinda no meu Blog.
    Que os sonhos te acompanhem sempre, e que 2011 traga tudo de bom, você merece!
    Um abraçO! Bjss

    ResponderEliminar
  6. O relato acima descrito do acidente é verídico e assisti à transmissão da noticia, não me recordando agora da data, apenas posso confirmar que foi em finais de 1968. Nessa noite estava em serviço na Rádio Club do Moxico e ouvimos as palavras proferidas pelo traidor Alegre, mais conhecido na altura por Pateta Alegre. Na Rádio havia várias dessas afirmações gravadas em fita. Aliás nos arquivos da PIDE/DGS em Portugal também havia, mas os "revolucionários de Abril" fizeram o favor de as destruir. Bem hajas por estas informações e só é pena que as provas reais tenham sido destruídas porque há mais. Um abraço de Lúcifer.

    ResponderEliminar
  7. Bom, dentro do mundo da política, venha o diabo e escolha! :S

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Bem, não conheço essa estória sobre o Alegre, mas pelo que acontece na política, não me parece que seja gráve. É só mais um para o naipe da honestidade...
    Amigo José.
    Já tinha lido o seu perfil. Cada vez que aqui venho, fico alguns segundos relendo um pouco da história da sua vida que compartilhou connosco.
    Dá para entender o quanto gosta de Angola. Eu também estive lá, embora muito menos tempo, pois foram pouco mais de dois anos a cumprir o serviço militar. Mas fiquei preso à beleza desse pais que gostava de rever.
    Um abraço e um Feliz 2011.

    ResponderEliminar
  10. Olá José!
    Passando por aqui adquiro um pouco mais de cultura...obrigada amigo.
    Ótimo e abençoado final de semana!
    Bjsss

    ResponderEliminar
  11. assino por baixo, caro amigo.
    um abraço e parabéns pela lucidez!

    ResponderEliminar
  12. Olá José, o seu blogue é um espaço cultural muito interessante e que gosto de visitar.

    Quanto á história, não me admiro, porque há muito que deixei de acreditar nos nossos políticos.

    Um abraço

    Boa semana

    ResponderEliminar
  13. Já não há portugueses dos 7 costados, como antigamente.
    E ainda nuita gente não abriu os olhos.
    Quando damos guarida a um criminoso de guerra que impunemente se atreve a querer ser PRESIDENTE deste pobre povo!!!

    ResponderEliminar
  14. Se esta notícia é verdadeira, tenho vergonha de no meu país esse traidor ser candidato a presidente.
    Porque os media não fazem eco?

    ResponderEliminar
  15. Caro amigo Delfim!
    Esta é uma noticia real e contada por que se revoltou ao ouvir a vós deste traidor a encentivar a matarem os seus patriotas a quem hoje lhes pede o voto. Existe muita coisa sobre ele, Mário Soares, Almeida Santos, Costa Gomes e Sepinula, entre outros. Mas neste país, gerido por traidores, acamufularam tudo para não o darem a conhecer aos Jóvens. A PIDE existiu com alguma razão, e uma das maires razões, era pelo facto da existencia destes traidores á Pátria e aos seus irmãos. Como Português, eles são piores que António Oliveira Salazar. Preferia este ultimo de longe.
    Os midia estão feitos com esta corja!
    Um abraço e volte sempre

    ResponderEliminar
  16. Já conhecia a história que me foi divulgada por pessoas que estiveram em Angola. Este homem enche-me de nojo e a sua simples existência como português mete dó!!!

    ResponderEliminar
  17. Sou testemunha no terreno em Cabinda Maiombe 1966 a 1968 ouvia-o a ele e por vezes o seu convidado Mário Soares, e gravei no meu gravador de bobines 150 um Krowcord que adquiri em Boco Zau. Repugna-me saber que há pessoas no meu País que ainda apoiam TRAIDORES E MARCENÁRIOS. Sei que o objetivo desses , só pode ser a ignorância, ou pertencem à mesma Ramificação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro, agradecia que me contactasse através do facebook "Eduardo Piretti", sou um jovem que equaciona envergar num empreendimento afecto a esta matéria.
      Espero que a minha resposta não fique perdida no plano temporal deste a sua publicação.
      Saudosos agradecimentos

      Eliminar
  18. Estive em Angola na década de 60 nada tenho com indivíduos cor.
    Será que será verdade o que se do Zé alegre, se assim for como pode uma pessoa cair tão baixo.
    No final somos todos uns palermas consentir que certos indivíduos se candidatem depois de trair o pais.

    ResponderEliminar